Campo Grande - MS, Domingo, 22/10/2017

MS 40 anos: MIS exibe curtas produzidos no Curso Gratuito de Documentário

Redação

6 de outubro de 2017

Cinema

O Museu da Imagem e do Som exibe na próxima segunda-feira (9), às 19 horas, os três curtas produzidos durante o Curso Gratuito de Documentário, projeto realizado pela Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul por meio do Museu da Imagem e do Som em parceria com a TV Educativa. O objetivo é homenagear Mato Grosso do Sul pelos seus 40 anos de criação.

O curso de documentário começou no dia 25 de abril, teve uma carga horária total de 160 horas, inclusas as captações externas e as aulas teóricas e visionagem, realizadas no MIS e na TVE. Na teoria foi apresentada a potencialidade dos chamados “materiais de arquivo” na construção de uma obra e discurso audiovisual, fazendo com que os participantes buscassem e experimentassem novos sentidos na utilização de imagens produzidas em tempos de outrora.

Além da formação, o curso produziu cinco obras audiovisuais com duração mínima de 10 minutos e máxima de 15, ou seja, formato de curta-metragem. Três desses trabalhos serão exibidos no MIS na próxima segunda-feira, também serão exibidos na TV Educativa, enviados a festivais que tratam especificamente de materiais de arquivos (www.arquivoemcartaz.com.br) e ficarão à disposição para pesquisa e nas atividades educativas do MIS. Dois vídeos ainda não foram concluídos, que abordam o processo histórico da criação do Estado e as mulheres nas artes em Mato Grosso do Sul. Estes serão exibidos posteriormente.

A coordenação, orientação dos trabalhos e aulas teóricas ficaram a cargo do publicitário, produtor executivo, roteirista, diretor e editor da TVE, Carlos Diehl; da jornalista, cineasta e coordenadora do MIS, Marinete Pinheiro e do diretor de TV e editor, Adão Mathias.

Para a coordenadora do MIS, Marinete Pinheiro, os meses de produção dos documentários geraram um processo de pesquisa muito interessante. “Os participantes acabaram descobrindo uma série de fatos sobre a história de Mato Grosso do Sul, sobre a construção do hino, sobre as artes, e estas descobertas foram enriquecedoras pros integrantes dos grupos, pessoas de áreas variadas, que vislumbraram outras possibilidades na produção do audiovisual. A parceria com a TVE proporcionou aos alunos a redescoberta do que é a TV pública. Para o MIS, o material será posteriormente exibido para estudantes, pois trabalhamos muito com as escolas. Poderemos trabalhar de forma didática com os estudantes por meio desses documentários, que dão ao museu subsídio para formação sobre a história do Estado”.

Confira abaixo a sinopse e a ficha técnica dos curtas que serão exibidos na próxima segunda, no MIS:

Paralelas de aço – A magia das viagens no trem, as estações, o poder de construir histórias e memórias, a relação comercial e emocional dos passageiros, pessoas simples que tinham em cada vagão parte de suas vidas e a importância da linha férrea na construção de muitas cidades.

Direção, pesquisa e roteiro: Rachid Waqued

Produção Executiva: André  Placencia, Fernanda  Prochmann e Rachid Waqued

Fotografia: Rachid Waqued

Edição e finalização: Carlos Diehl

Reexistência – Eu posso ser você sem deixar de ser quem sou! – Pela primeira vez representantes de várias etnias indígenas do Estado do Mato Grosso do Sul fazem um balanço sobre os 40 anos da divisão do estado. O índio da aldeia é o mesmo indo da cidade?

Direção: Amanda Dim e Nadja Mitidiero

Som, produção, direção de arte, montagem e direção de  fotografia: Carlos Diehl, Reinaldo Lopes , Sidney Terena, Neilcieni Maciel, Nadja Mitidiero e Amanda Dim.

Finalização e trilha: Carlos Diehl

Hino – Glória e Tradição de uma gente audaz – Logo após a criação de Mato Grosso do Sul, em 11 de outubro de 1977, um concurso foi lançado para escolher o hino oficial do recém criado Estado. Porém, a história conta que nenhum texto agradou o suficiente a comissão julgadora, assim às vésperas do dia 1º de Janeiro de 1977, no recesso de natal, um grupo de pessoas foi chamado às pressas para compor a letra do hino, sobre uma partitura do maestro gaúcho Radamés Gnattali, que seria tocada na cerimônia do dia 1º de Janeiro de 1979, no Teatro Glauce Rocha. Quase 40 anos após, vozes das ruas e personalidades que viveram ou estudaram a época apresentam opiniões e até outras versões sobre a criação do hino e trazem uma reflexão: afinal de contas, há “Glória e Tradição” quando se fala no Hino Oficial de Mato Grosso do Sul?

Direção e roteiro: Guilherme Cavalcante, Lizandra Moraes e Marcia Furtado

Roteiro: Guilherme Cavalcante, Lizandra Moraes e Marcia Furtado

Produção e pesquisa : Silvana Rocha Silva, Fabiana Christine Ferreira Rocha, Deborah Rossi Otto, Marcia Furtado, Lizandra Moraes e Guilherme Cavalcante

Edição: Marinete Pinheiro

Finalização: Carlos Diehl